sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Takenoko



Depois de anos de conflito entre China e Japão, em um passado muito remoto, o imperador chinês ofereceu ao imperador japonês um presente para representar a aliança firmada entre as duas nações e que fosse um símbolo de paz entre as duas nações: um panda gigante. O problema é que a “lembrancinha” é um comilão incansável, com fome proporcional ao seu tamanho.

O problema está apenas começando, pois no jardim do imperador são cultivados raríssimos e coloridos bambus, meticulosamente cuidados pelo dedicado jardineiro. Uma tentadora refeição para o novo habitante do jardim.  

Em Takenoko cada jogador assume o papel de membro da corte do imperador japonês. Nesta tarefa precisam assumir da responsabilidade de atender à fome voraz amigo panda, e ao mesmo tempo auxiliam o valente jardineiro a cultivar os bambus que embelezam o jardim imperial. Será declarado vencedor quem souber encontrar o equilíbrio que deixará o imperador satisfeito.

Resumo do jogo

O jogo funciona em turnos, onde cada jogador executará duas ações, entre cinco opções: Movimentar o panda, movimentar o jardineiro, comprar campo, comprar carta de objetivo ou comprar canal de irrigação.

Existem 3 tipos de objetivos: de panda, de jardineiro, ou de terrenos. Cada carta de objetivo possui uma pontuação equivalente. O jogo termina quando o primeiro cumprir 7, 8 ou 9 objetivos, dependendo do número de jogadores.

O primeiro jogador a terminar os objetivos recebe a carta de “visita do imperador”, que concede pontos extras. Porém, isso não significa que será o vencedor. Vence a partida o jogador que tiver o maior número de pontos nos objetivos cumpridos.

Considerações

Todos os componentes do jogo são muito bem elaborados. Com isso, Takenoko possui um fortíssimo apelo visual. Os terrenos, os tabuleiros individuais, os pedaços de bambu, as cartas de objetivo, o dado e os marcadores de madeira e, é claro, as miniaturas do panda e do jardineiro, foram cuidadosamente elaborados e confeccionados.

Mas, engana-se quem pensa que é apenas um jogo muito bonito. É um jogo leve e divertido mas com uma componente estratégica muito boa.
Além disso, apesar de ser recomendado a partir de 13 anos, nossa filha de 7 anos conseguiu absorver bem as regras e jogar tranquilamente. Nos ajuda a trabalhar com ela concentração, priorização de ações, tomada de decisão, raciocínio lógico, e tudo isso de forma agradável e lúdica.

Extremamente divertido, para todas as idades, Takenoko não é um jogo de longa duração. Com certeza recomendadíssimo.


Ficha Técnica:

Jogadores: 2 a 4
Idade: a partir de 13 anos
Duração: 45 minutos
Tipo: caixa básica
Fabricante/Desenvolvedora: Asmodee/Bombyx/Matagot/Galápagos Jogos (no Brasil)









Onde Comprar: 


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Iniciando

Em tempos de tecnologia abundante, com tablets, notebooks, smartphones, apps e gadgets, nossa família está resgatando um antigo hobbie: jogos de tabuleiro.




Ao contrário dos eletrônicos, que possuem forte tendência a isolar o indivíduo, essas atividades trazem integração à família e amigos e ainda se mostram excelente ferramenta para que os pais possam trabalhar diversos aspectos na vida de seus filhos. É possível tratar questões como honestidade, orgulho, atitude na vitória e derrota.

Enfim, temos nos divertido e aproveitado o tempo em família, e decidimos apresentar os jogos que temos jogado e compartilhar as impressões que temos de cada um, e com isso incentivar mais famílias e grupos de amigos a buscarem atividades que propiciem integração e divertimento.

Esperamos que esse espaço seja de grande proveito. 

O primeiro jogo que iremos tratar é a nossa última aquisição: Takenoko
Até lá.